A Mostra Geração é o segmento infanto-juvenil do Festival do Rio, o maior evento audiovisual da América Latina.

Esse ano estamos celebrando 15 anos.

São vários Programas:

O Internacional, inclui longas vindos de várias partes do planeta/do mundo com temáticas focadas nas crianças e nos jovens.

O Vídeo Fórum apresenta e debate os trabalhos produzidos por eles mesmos. É o momento de ver na tela grande a sua própria produção.

Além disso, a Mostra Geração oferece encontros especiais para educadores e diversas atividades.

Fique de olho: o Festival do Rio 2014 acontecerá entre 24 de setembro e 08 de outubro.

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Eu Sei Que Você Sabe tem última sessão amanhã!

Amanhã na Mostra Geração haverá a última exibição do emocionante EU SEI QUE VOCÊ SABE. O filme é uma das atrações do Programa Internacional e estrelado por Robert Carlyle. A sessão será às 9h, no Espaço de Cinema sala 1, em Botafogo. Antes do filme será exibido o curta-metragem nacional AS FÉRIAS DE LORD LUCAS.

O Espião Que Me Amava
Por Bia A. Porto

Resenha crítica do longa Eu Sei Que Você Sabe
(I Know You Know)
Reino Unido, 2008, 81min.
Direção: Justin Kerrigan

Eu Sei Que Você Sabe é uma história bem diferente que vai mexer com o público da Mostra Geração 2009. O diretor Justin Kerrigan escreveu o roteiro com toques autobiográficos. O resultado é mais do que um filme tecnicamente bem dirigido, é uma declaração de amor a seu pai.

Jamie, 11 anos, vive com o pai, Charlie, e desconfia que este seja um agente do serviço secreto britânico. A relação deles é ótima. Charlie nunca se dirige a Jamie com aquele distanciamento típico de um adulto que fala a uma criança, os dois são amigos. Nas muitas conversas, podemos ver o quanto um pai influencia a visão de mundo de um filho. Para Jamie, Charlie é um verdadeiro herói.

O ano é 1988 e uma operadora de TV a cabo está chegando com tudo na cidade. Apesar do tom apocalíptico, Charlie tem um discurso lúcido contra a nova empresa. É interessante ver como as atitudes do pai correspondem à idealização do menino. A excelente trilha sonora original de Guy Farley, que segue a tradição dos filmes policiais da década de 1970, também colabora para que o público compartilhe os sentimentos de Jamie. Mas o mais convincente mesmo é a atuação do jovem estreante, Arron Fuller, que coloca sua alma no turbilhão de emoções de um personagem em fase de discernir a sua própria realidade daquela apresentada pelo pai.

Com os conselhos de Charlie, Jamie encara os valentões da escola, mas será que se deve enfrentar todos os inimigos da mesma maneira? Este é o delicado momento vivido pelo protagonista. No papel do pai, o “monstro” Robert Carlyle, de filmes como Ou Tudo ou Nada (de Peter Cattaneo, 1998) e 007 – O Mundo Não É O Bastante (de Michael Apted, 1999), está estiloso e sombrio, como realça a fotografia de Ed Wild. Assim, o dilema do filho fica ainda mais complicado.

Uma dica: preste atenção no desenho sonoro do filme. O trabalho de Lars Ginzel está em perfeita sintonia com as músicas, colocando ritmo e mais profundidade nas ações para envolver o espectador.


Um comentário:

Veve...e seus segredos!!! disse...

Olaa..!
Gostei muito do blog mas estou sentindo falta das entrevistas dos alunos do Colegio Estadual Dom Pedro II de Petropolis que participaram com o Remake Se eu Fosse Você.
Sei q eles gravaram entrevistas com vcs e q em breve estaria postado aki no blog..
Por favor Ponham para q eu possa divulga - los..
Desde já Obrigada